Curso de Jornalismo é reformulado e abre nova coordenação

Escrito por Douglas Pessoa em 10 de abril de 2014

 

Em novembro de 2013, o Ministério da Educação aprovou as novas diretrizes curriculares, possibilitando a transformação das habilitações em Jornalismo, do curso de Comunicação Social, para o Bacharelado em Jornalismo. Ou seja, o curso de Jornalismo se torna pleno. O estudante que cursar Jornalismo não terá mais o diploma de Bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo e sim o de Bacharel em Jornalismo. Os cursos terão dois anos para se adaptar à nova estrutura.

A medida do MEC trouxe de volta uma característica que existia nos cursos de Jornalismo antes da ditadura militar. De 1947 a 1964, os cursos de Jornalismo eram plenos. Durante a ditadura, os militares criaram o curso de Comunicação Social e transformaram Jornalismo em habilitação. “Isso foi uma tentativa dos militares frearem as ações dos jornalistas, rebaixando a qualidade da formação do jornalista. Portanto, o que aconteceu agora é um retorno à possibilidade de desenvolver cursos com mais qualidade”, afirma Ruben Holdorf, coordenador de Jornalismo no Unasp-EC. 

De acordo com o coordenador, a nova medida apresenta diversos pontos positivos para a formação dos jornalistas. Um deles é o aumento do foco do profissional na área na qual atuará, sem perder o vínculo com a necessidade do conhecimento generalista. “Essa medida é uma luta de muito tempo dos profissionais de jornalismo. Eu não concordo com a forma pela qual foi estruturada. Afinal de contas, o MEC decidiu de modo abrupto. Na verdade, isso deveria ter sido estudado para acontecer de um modo mais gradativo”, aponta.

Em função disso, o curso de Jornalismo do Unasp-EC precisou criar uma coordenação própria. Até então, a Coordenação de Comunicação Social respondia pela gestão das habilitações de Jornalismo e Publicidade e Propaganda (PP). No entanto, a partir de 2014, o Bacharelado em Comunicação Social, com a chegada do curso de Rádio e TV (RT), continua tendo duas habilitações.

As habilitações de Comunicação Social continuam sob a coordenação do professor Martin Kuhn, publicitário e doutor em Comunicação Social. Já o Bacharelado em Jornalismo passa para a direção do professor Ruben Holdorf. Jornalista graduado em 1992 pela Universidade Federal do Paraná, Holdorf foi editor do Paraná Online, site dos jornais O Estado do Paraná e Tribuna do Paraná. Holdorf também atuou como professor de História no Colégio Adventista do Boqueirão, em Curitiba e professor do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Antes de assumir o atual cargo, o Holdorf dirigiu a Agência Brasileira de Jornalismo (ABJ), agência júnior do curso. Durante sua gestão, a ABJ recebeu vários prêmios, entre eles o 18.° SET Universitário da PUC-RS, como a melhor mídia online de crítica de mídia acadêmica do Mercosul. Na edição de 2007, a agência conquistou o 20.° SET Universitário como melhor weblog. Nesse mesmo tempo, também atuou como professor no curso de Comunicação Social.

Em decorrência de seu currículo, experiência e credibilidade, o Holdorf foi escolhido para comandar o curso que, inclusive, iniciou 2014 com uma nova matriz curricular.  “Os professores do curso perceberam a necessidade de remodelar o conteúdo para fornecer mais ênfase à prática textual”, explica Holdorf. Por meio da nova matriz curricular, pretende-se estimular o aperfeiçoamento da escrita dos graduandos, pois, de acordo com o coordenador, é a ferramenta mais importante do trabalho de todo jornalista.  “Na matriz de 2010, 31% das disciplinas tinham ênfase na formação visual e apenas 21% tinham foco na área textual. Agora, 35% das matérias focam o desenvolvimento textual e as outras 20% enfatizam o audiovisual”, esclarece.

A reformulação trouxe ao curso de Jornalismo diversas novidades para os alunos. Uma delas é a implantação do Projeto Integrador. Este trabalho, que já é feito com os estudantes de Publicidade e Propaganda, é um experimento técnico interdisciplinar na qual os alunos deverão produzir trabalhos práticos conectados às disciplinas ministradas ao longo do semestre. No primeiro período os alunos deverão produzir duas edições de jornais. No segundo será produzida uma programação de rádio e, nos semestres subsequentes, os estudantes desenvolverão outros projetos, tais como em telejornalismo, monografia, revista, webjornalismo e comunicação corporativa.


Todas as notícias

comentários