Curso de História apresenta trabalhos acadêmicos

Escrito por Equipe de Comunicação  em 19 de outubro de 2012

 

Neste semestre, o curso de licenciatura em História do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, participou de eventos relacionados a pesquisas acadêmicas. Em setembro, 12 alunos da graduação apresentaram trabalhos no 2º Congresso Sul Americano de Educação Adventista. Outros seis estudantes expuseram suas pesquisas na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Entre os dias 3 e 5 de setembro, a cidade de Engenheiro Coelho recebeu 12 alunos de História que submeteram suas pesquisas acadêmicas ao 2º Congresso Sul Americano de Educação Adventista. Além dos estudantes, dois professores também fizeram apresentações.

A iniciativa e a organização do evento foram responsabilidade da Divisão Sul Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD). O congresso recebeu quase 200 líderes da rede adventista na América do Sul. Durante o evento, foi aberta a exposição dos “120 anos de Isolina Avelino Waldvogel”, organizada pela professora do curso Janaína Xavier. A exposição acontece até o dia 31 de dezembro, no Centro Ellen G. White, no prédio do Centro de Comunicação do campus.

Na metade do primeiro semestre deste ano, os alunos de História também foram desafiados pelo professor Paulo Campos a submeterem suas pesquisas no circuito acadêmico. Dois professores já haviam representado o Unasp na comemoração dos 50 anos da Associação Nacional de História (ANPUH), em 2011, o que gerou o 21º Encontro Estadual de História, realizado entre os dias 3 e 6 de setembro, na Unicamp.

Liege de Oliveira e Débora Soares, estudantes do 3º ano do curso, inscritas no Projeto de Iniciação Científica (Pibic), apresentaram a pesquisa “Identidade de gênero: a representação da mulher na revista Vida e Saúde durante a Segunda Guerra Mundial (1940-1945)”. Outros alunos do 1º e 2º ano da graduação também expuseram suas pesquisas, enquanto 10 estudantes participaram como ouvintes.

Segundo o coordenador do curso, Elder Hosokawa, todas as despesas, como transporte, inscrição e divulgação dos trabalhos, foram cobertas pelo Programa de Auxílio e Participações em Reuniões Científicas do Unasp (Proaparc). “Acho que a sensação dos estudantes e professores culminou na convicção de que na formação dos estudantes, um curso de licenciatura pode alcançar metas não só no ensino das teorias, mas também na prática de pesquisas históricas”, afirma Hosokawa.

A professora Francisca Pinheiro lecionou no curso de História em 2010 e atualmente coordena o setor de Pesquisa e Extensão universitária do Unasp. A docente incentivou os projetos de pesquisa da graduação com recursos institucionais por meio da participação das professoras Dayana Formiga, que apresentou a pesquisa “Os desdobramentos da escola genética Dreyfus-Dobzhansky: a institucionalização da genética humana no Brasil (1956-1970)”, e de Denise Scandarolli, que expôs uma pesquisa sobre a “Estruturação do gênero ‘cômico’ no Teatro Francês: Vaudeville e Ópera-Comique”.

As participações nos eventos são também resultados do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), que disponibiliza bolsas para projetos de pesquisa.  Vinte estudantes de História foram contemplados com a bolsa no valor de R$ 400,00 mensais, no período de um ano.

O Pibid é um programa do Ministério da Educação, gerenciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que tem por objetivo o incentivo à formação de professores para a educação básica e a elevação da qualidade da escola pública. “Sendo um programa de iniciação à docência, os participantes são alunos da licenciatura em História que, inseridos no cotidiano de escolas da rede pública, planejam e participam de experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar. Eles também buscam a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem”, explica o coordenador do curso.

Para Hosokawa, a participação em congressos e o financiamento público-privado das pesquisas revelam maturidade no curso, que tem menos três anos de existência, além do interesse do Unasp na formação integral dos seus alunos. “A revista Acta Científica número 3 de 2012 (setembro/dezembro) sairá com um Dossiê intitulado “História e Desenvolvimento Social”, com submissão prevista de cinco professores do curso de História”, orgulha-se o coordenador.


Todas as notícias

comentários